5 motivos para Anunciar no Google

5 motivos para Anunciar no Google

Para ter resultados diferentes, faça algo diferente! Considere anunciar no Google. Não é uma fórmula mágica, já que elas não existem, mas pode ser uma ótima forma de ampliar a visibilidade do seu negócio.

Atualmente, não existe uma maneira de falar e pensar a internet que não seja através do Google. A empresa virou quase um sinônimo de Web e é amplamente conhecida no mundo. Seus concorrentes não conseguem ultrapassar a popularidade da empresa, sem falar no impacto que o nome ganhou na sociedade. Precisa de alguma coisa, algum produto, ou alguma informação? Qualquer pessoa te dirá para “procurar no Google”.

Quando você pensa em comprar algo e quer atestar que fará uma boa aquisição, para onde você vai? Oras, para o Google! E quando quer comprar algo mais em conta do que nas lojas físicas? De novo, o mesmo site de pesquisas! Desta forma, o ambiente do Google se tornou o mais propício para investimentos em marketing digital. Ou melhor, quase que indispensável para alavancar um negócio online.

Então, como ignorar esta potência mundial online? A resposta é: não ignore e considere fortemente a possibilidade de anunciar no Google! Se quiser mais visitas e vendas na internet, esse é um passo essencial.

Vamos passo a passo nessa história, para você saber tudo que precisa para anunciar com segurança e eficácia!

Sobre o Google

Segundo a Wikipedia, O Google surgiu na década de 90, como um projeto de pesquisa universitária. Inicialmente, foi chamado de BackRub. Com o tempo, mudaram o nome para Google, como um erro de ortografia da palavra “googol”, que significa o número 1 seguido de cem zeros. Isso quis refletir a quantidade de informação que o motor de busca poderia processar; além da missão de organizar uma quantidade incalculável da mesma na internet.

O projeto foi um imenso sucesso: tanto, que hoje é uma das maiores três marcas do mundo, junto da Apple e da Amazon. Embora o seu foco primário seja a busca da web, o Google conquistou um repertório imenso de produtos, que incluem o sistema operacional Android, os aplicativos Maps, Waze e Fotos, o navegador Chrome, o cliente de e-mail Gmail, o serviço de armazenamento em nuvem Google One, a loja de apps, filmes e músicas Google Play, além da plataforma mundialmente famosa de vídeos, o Youtube. Muitas coisas, não? E isso são só algumas delas.

Entre tudo isso, entre todo o dinheiro que chega no Google, sabe de onde ele tira o maior lucro? De anúncios. É neste mecanismo que a empresa tem mais de 90%de todo seu faturamento. E por quê? Porque gera valor para seus usuários.

A intenção do público se torna clara no que buscam, e com cada pesquisa que fazem, elas te dizem exatamente que problemas querem solucionar. E se, para problemas específicos, a página da sua empresa fosse a primeira a aparecer no mecanismo de busca mais acessado do Brasil?

Isto pode ser lucro para o Google, mas também se reverte em benefícios imensos para o usuário. Porém, para que este seja o caso, ele tem que entender o que é a ferramenta e como utilizá-la; ou como alguém contratado poderá fazê-lo.

O que é Google Ads?

Primeiramente, é um rebrand do antigo Google Adwords, que ocorreu em 2018. Seu objetivo foi simplificar, refletindo as capacidades e a trajetória que a empresa procurava – e ainda procura – seguir. O Termo Adwords ainda é utilizado, mas sua nomenclatura oficial agora é Google Ads.

O que seria isso, então? Esta forma de publicidade é aquela que aparece quando você faz uma pesquisa. Os links anunciados no desktop possuem ao lado deles uma pequena etiqueta esverdeada com a palavra “Anúncio”. Antes eram amarelas, mas agora, há chance de sequer perceberem que é um anúncio e clicarem, já que o link é no mesmo tom de verde. Já no celular, a palavra “Anúncio” aparece em negrito, logo no topo do resultado de busca. Assim fica mais claro para o usuário que aquele resultado da pesquisa diz respeito a um anúncio pago.

Com lances e investimento, sua empresa irá aparecer na frente das empresas que as que chegam organicamente ao primeiro lugar no Google.

A palavra ou termo usado quando alguém faz uma pesquisa é chamado de “palavra-chave”. Através do estudo do que seu público-alvo mais pesquisa, é realizado um planejamento com uma lista de termos mais interessantes. A partir disso, você paga para o Google mostrar seus links com termos selecionados para os internautas. Este pagamento pode ser feito por impressão ou por clique no anúncio. Chegaremos lá daqui a pouco.

O Google Ads também conta com machine learning: O algoritmo dele analisa 70 milhões de sinais em um décimo de segundo, automatizando lances em tempo real no leilão de anúncios do Google. Isso faz com que ele consiga, automaticamente e com precisão, escolher a audiência e o anúncio correspondente a ela. Ele também te dá meios de mensurar os resultados, para que você possa testar e ajustar os seus anúncios de acordo com suas necessidades e, principalmente, o comportamento dos consumidores.

Há alternativas?

Há empresas em que o telefone só toca porque aparecem nos anúncios. Mas e para acessos a longo prazo? Para seu site ser sempre encontrado nas buscas, sem ter um centavo gasto? Para isso, existe o SEO (Search Engine Optimization). Links e palavras-chave fazem ser possível que sua página seja analisada e ranqueada pelo Google, possibilitando, sem custo, seu aparecimento nas primeiras colocações nos resultados de pesquisa. Ou seja, essa técnica irá trazer resultados eficientes, porém, é um processo que exige paciência, e não será imediato.

Para saber mais sobre SEO, confira nosso artigo “O que é SEO” e aprenda como otimizar seu site para mecanismos de busca!

Quanto custa o Google Ads?

O Google Ads é uma mídia geralmente mais barata que as tradicionais; até mesmo comparando com grandes portais que oferecem espaço para publicidade. Por isso, é procurada por empresas de todos os tamanhos. Além do mais, quando alguém investe em mídia convencional, como televisão ou o rádio, é muito mais difícil mensurar o retorno.

Nessa ferramenta, o usuário possui total controle sobre os valores investidos. É possível determinar o gasto por mês, por dia e por campanha. Também é possível fazer com que a cobrança seja realizada somente quando o anúncio receber cliques, ou a cada 1000 impressões (CPM), ou apenas quando ocorrer alguma conversão no site. Nela, é possível começar com pouco, avaliar o retorno e o comportamento do público, e aumentar o investimento gradativamente.

E quanto deve-se gastar? Não existe uma regra mágica, cada caso é um caso. Cada segmento e tipo de produto ou serviço tem a sua particularidade. Produtos muito concorridos demandarão maior investimento. Consequentemente, produtos com menos concorrência poderão gerar bons resultados com um investimento mais modesto.

Baseado no histórico de resultados de nossos clientes recomendamos que se invista ao menos 30 reais por dia, apesar de não haver custo mínimo para investimentos. Além disso, outro fato que vale a pena ser mencionado é que quanto menor o custo, menor a região em que o anúncio aparecerá.

Mesmo com pouco investimento, são necessários profissionais que saibam exatamente o que estão fazendo. Afinal, dominando o assunto, eles entenderão como segmentar e medir o quanto pode ser investido em cada anúncio. Irão avisar caso o cliente queira fazer um grande investimento que não terá um bom retorno, além de estarem sempre a par das atualizações constantes da ferramenta.

Nela também é possível contabilizar impressões, cliques, e saber quem realizou uma conversão no site (se realizou uma compra, preencheu um formulário, baixou seu aplicativo, ou telefonou para fazer um pedido). Também é possível “acompanhar” a pessoa, exibindo novos anúncios a ela por meio de remarketing. Ou seja, tudo isso contribui para que o anunciante tenha medidas precisas que indicarão o retorno do seu investimento.

Assim, ele pode identificar quais estão com poucos cliques e uma performance indesejável, e ajustar suas prioridades de acordo. Pode mudar a segmentação e priorizar o investimento onde o retorno foi melhor, além de tirar os que não estão funcionando do ar.

No mais, ferramentas de análise como o Google Analytics também podem ser utilizadas para saber mais sobre os hábitos de compras de clientes. Quanto eles pesquisam um produto antes da compra? Em que ponto eles fecham o site, abandonando o processo? São estatísticas importantes para o ajuste de uma estratégia. É recomendado sempre associar a conta do Google Ads a do Google Analytics para obter melhores resultados.

Como funciona o Google Ads?

Aqui falaremos de termos um pouco mais específicos. Contudo, explicaremos tudo direitinho, de forma que futuros anunciantes entendam onde estão pisando, mesmo se forem contratar profissionais para cuidarem dos anúncios. É importante saber os mínimos de onde se investe para visar o lucro, não é mesmo?!

Sempre que alguém pesquisa determinada necessidade no Google, o Google Ads automaticamente faz um leilão pela palavra-chave pesquisada, buscando os anúncios qualificados para a mesma. Isso determina quais serão exibidos nos resultados da busca, além da ordem em que os anúncios serão mostrados. Porém, não é um leilão em que o lance mais alto ganha!

O Ads se baseia na classificação do anúncio (Ad Rank), que é determinado de acordo com o Lance Máximo de CPC (custo por clique) e o Índice de Qualidade. Caso este último fator tenha um índice maior do que o de outro anunciante, sua classificação poderá ser mais alta, mesmo se o lance dele for maior do que o seu. Ou seja, cada leilão pode ter resultados extremamente diferentes dependendo da concorrência do momento. Por isso, é normal observar oscilações na posição dos anúncios.

O Custo por Clique é o quanto você investe. Mas então, o que é Índice de Qualidade?

Ele é uma estimativa da relevância do anúncio, da taxa de clique (CTR) e da Landing Page. Explicaremos melhor:

A relevância do anúncio indica o valor da palavra-chave em relação à mensagem do anúncio. Alguém que digita uma palavra-chave específica pode achar um anúncio com a mesma por essa razão: ele se torna relevante, pois é o que a pessoa procura.

O CTR – click through rate – é o número de vezes em que o anúncio foi clicado (cliques), dividido pelo número de vezes que o anúncio apareceu para alguém (impressões). Acredita-se que esse é o fator que possui mais força no Índice de Qualidade.

Porém, as páginas de destino (Landing Pages) também são de suma importância para o Índice. Esse peso vem aumentando, já que o uso de smartphones para realizar buscas apenas cresce; o que deixa imprescindível que as páginas tenham uma boa usabilidade em dispositivos móveis. Quando alguém acessa um anúncio, ela tem uma expectativa: e se a página de destino não for do agrado do consumidor, ele voltará ao Google e clicará em outro anúncio, ou realizará uma nova pesquisa. Ou seja, o Google mede a positividade da experiência do usuário ao chegar na página que aparece após clicar no anúncio.

O Google Ads avisará se todos estes itens estão abaixo, acima, ou na média.

Como anunciar no Google Ads – Segmentação

A ferramenta oferece anúncio em momentos chave para seu público, e isso só acontece por ela permitir diferentes formas de segmentação, aumentando a própria eficácia. Você pode também misturar as segmentações, gerando formas de publicidade criativas! Veja as que o Google Ads oferece:

  • Keywords ou palavras-chave: os anúncios serão exibidos para as pessoas que realizarem alguma busca no Google utilizando palavras ou frases que representem os produtos e serviços, ou que já visitaram websites sobre esse mesmo assunto pesquisado (histórico de navegação).
  • Segmentação por tópicos e canais: a plataforma permite escolher algum tópico específico, e os anúncios serão exibidos em vários sites sobre esse determinado tópico. Também é possível escolher diretamente os sites que são mais acessados pelo seu público, e exibir seus anúncios neles.
  • Público-Alvo: com segmentação por público-alvo é possível exibir anúncios para pessoas interessadas mesmo quando essas pessoas estiverem navegando em websites, usando aplicativos ou assistindo vídeos que não estejam diretamente relacionados aos seus produtos e serviços.
  • Local de exibição do anúncio: é possível escolher onde os anúncios serão exibidos: em mecanismos de pesquisa, sites comerciais ou sites pessoais (blogs, por exemplo).
  • Idade, local e idioma: a plataforma permite escolher a idade, a localização geográfica e o idioma de quem será impactado pelos anúncios.
  • Programação (dias, horários e frequência): existe a possibilidade de exibir os anúncios em determinadas horas ou dias da semana, e escolher a frequência de exibição desses anúncios.
  • Segmentação por dispositivos: os anúncios podem ser exibidos em todos os tipos de dispositivos (computadores, laptops, tablets e smartphones), e você pode ajustar quando e em quais deles seus anúncios vão aparecer.

Tipos de anúncios no Google Ads

Então, onde você deve começar a anunciar? As opções são diversas, e isto irá variar de acordo com seu produto, público-alvo, etc. Lembre-se de consultar especialistas antes de decidir. Os meios pelo qual o anúncio pode ser veiculado são:

Rede de Pesquisa

São os resultados de busca do Google e de sites parceiros de busca. Anúncios são exibidos nas quatro primeiras posições; e para palavras-chave de concorrência, também nas três últimas. Além de sites de pesquisa do próprio Google (contando com Google Play e Google Shopping), também fazem parte desta rede os resultados de busca de portais como UOL e Terra. Também participam sites menores que tem mecanismos de buscas internos e fazem parte da rede de afiliados do Google; o Google AdSense.

Rede de Display

É composta por milhares de sites dos mais diversos segmentos, do NY Times até o Gmail e Youtube. A rede também exibe anúncios para sites e aplicativos dispositivos móveis (mobile). A Rede de Display permite selecionar, de forma detalhada, os assuntos da página ou sites em que os anúncios serão exibidos e para qual público-alvo, os fazendo aparecer em domínios relevantes ao que será vendido. Podem ser anúncios de texto, gráfico, interativos, e em vídeo.

Youtube Ads

O Youtube tem uma relevância na sociedade quase tão grande quanto o Google, sendo o segundo maior buscador de informações online. É, também, propriedade do próprio Google. Centenas de milhares de pessoas o acessam todos os dias, assistindo a mais de seis bilhões de horas em vídeo. A empresa pode escolher anunciar em banners, vídeos, etc.

Google Shopping

Com isto, é possível criar campanhas para promover produtos de e-commerce, intensificar o tráfego para o site e até mesmo para a loja física, e gerar leads mais qualificados. Para anunciar lá, é necessário enviar um feed de dados para o Google Merchant Center. Então, quando criar uma campanha no Google Ads, ele utilizará as informações desse feed (e não de palavras-chave) para determinar como e onde os anúncios serão exibidos. Então, anúncios serão criados dinamicamente na rede de pesquisa e na rede de display, exibindo foto do produto, preço, informações relevantes da loja, etc. Este tipo de anúncio pode aparecer ao mesmo tempo que um de texto da mesma empresa na Rede de Pesquisa, aumentando a chance de cliques e compras.

Campanhas para aplicativos móveis

Sua marca possui um aplicativo? O Google Ads também dá diversas possibilidades de o divulgarem para que as pessoas façam o download. Você pode promove-lo na Rede de Pesquisa, Rede de Display, Youtube, ou decidir por divulgar uma campanha no Google Play. Além disso, é possível encontrar pessoas com interesse no conteúdo do aplicativo, fazer com quem já o instalou volte a usá-lo, e realizar ações.

Remarketing

Essa estratégia visa exibir anúncios de sites que um usuário já demonstrou interesse. Por ela, é possível alcançar pessoas que já utilizaram seu site ou aplicativo. Quando as pessoas são listadas por páginas com a tag “remarketing” do Google Ads, é como se ficassem “marcadas” durante algum tempo.

Público-alvo semelhantes

Com esta função, é possível encontrar novas pessoas com características semelhantes a clientes ou leads; pessoas que demonstraram interesse no seu negócio.

Anúncios para listas de e-mail

Com este recurso, é possível utilizar uma base de e-mail de clientes para quais surgirão anúncios nas pesquisas do Google, no Gmail ou Youtube. Assim, é possível criar campanhas para pessoas que já são seus clientes, ou para determinados grupos. Isso traz um grande potencial de reativação de clientes com promoções, e possibilita campanhas para gerações de leads: quando se gera um público-alvo semelhante ao da lista de e-mails, com o intuito de impactar pessoas com o mesmo perfil da lista existente.

Campanhas apenas para chamadas (Call Only)

Para empresas que não possuem um site ainda, ou preferem receber chamadas telefônicas. Sim, é possível configurar uma campanha só para chamadas! Com isto, ao invés de cliques, os lances vão gerar chamadas telefônicas automáticas, em vez de um redirecionamento a uma página.

 

5 motivos para anunciar no Google

Gostou de entender mais sobre a ferramenta? Após todos esses detalhes, se a pergunta de “Por que devo fazer uma campanha no Google Ads?” permanecer, temos as respostas:

  1. O Google é o buscador mais acessado do mundo

Diversas pesquisas apontam, há anos, o Google já consolidado como o site de buscas mais acessado no mundo. Um dos motivos é que ele se tornou a página inicial em boa parte dos navegadores. Não esquecendo do navegador do próprio Google, que também dispara na frente, o Google Chrome. De acordo com o NetMarketShare, ele consiste em 65.57% de usuários globais em computadores, com o segundo lugar sendo o Internet Explorer, com apenas 9.64%. Em celulares, ele tem 62.53% usuários globais. O Safari, da Apple, vem em segundo, com 29.12%.

Portanto, ao anunciar no Google você amplia consideravelmente a probabilidade de que as pessoas vejam um anúncio sobre o seu negócio.

  1. Encontre seu público alvo na internet

Com infinitas possibilidades de segmentação, o Google Ads pode ser realmente eficaz. Quando configurado por um profissional habilitado e experiente, pode render resultados incríveis. Como os seus anúncios irão aparecer para um público muito bem segmentado, as chances de ele aparecer para o seu público alvo, em um momento onde ele procura pela solução de um problema, é muito grande.

  1. Seus concorrentes já estão no Google

Muitas empresas de médio e grande porte do mercado de qualquer segmento já se encontram no Google, e realizam campanhas em Google Ads. Mas o potencial democrático do Google é tão grande que até as pequenas empresas podem entrar no cenário. Empreendedores autônomos também têm realizado investimentos em anúncios do Google. Então, se você ainda não entrou, só falta mesmo a sua empresa!

  1. Resultado em menos tempo

Ao contrário dos resultados orgânicos no Google, provenientes de otimização do seu conteúdo, o Google Ads pode apresentar resultado efetivo em menos tempo. Você configura e já pode receber visitantes em seu site horas depois do anuncio. As pessoas não param de pesquisar, e seu anúncio estará lá!

  1. Tenha o melhor custo-benefício

Há inúmeros recursos disponíveis para configurar um anúncio no Google. A ferramenta é muito robusta e poderosa, mas para tirar o melhor proveito dela é preciso saber usá-la. Por isso, para sua campanha no Google ser realmente eficaz, é necessário que seja realizada por um bom profissional. Dentro do marketing digital, há a especialização em Google Ads, e é este segmento que você deve procurar.

Quer anunciar no Google ? Trabalhe com quem sabe fazer o Gerenciamento do Google Ads.